A causa de nossa santificação: o sofrimento

Raphaela Nogueira Thomaz

Muito diferente d’Aquela Divina Figura que os Apóstolos contemplaram no Tabor, estava Nosso Senhor Jesus Cristo pregado na Cruz, com os braços abertos para atrair a Si a Humanidade inteira. Enquanto Homem-Deus, padeceu os mais atrozes tormentos, sendo abandonado, desprezado e humilhado. Talvez, até os que haviam sido objeto de Sua maior compaixão, clamavam por Sua morte.

Tudo parecia irremediavelmente perdido. Entretanto, dessa divina tragédia floriu gloriosa a Santa Igreja, nascida do flanco aberto deste Cordeiro sem mácula: o próprio objeto de irrisão dos algozes acabou por ser o manancial de onde surgiu para eles a salvação.

Dizem os teólogos que bastaria um simples gesto ou uma gota de sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo oferecidos a Deus-Pai para operar a Redenção. No entanto, Ele preferiu derramar Seu Preciosíssimo Sangue até a morte. E, desse modo, deu uma lição de conformidade com a dor para que cada homem tivesse completamente a coragem de carregar o seu próprio sofrimento. De fato, o sofrimento, sendo um dom admirável de Deus para que o homem, auxiliado pela graça, tempere e eleve sua personalidade, constitui o caminho necessário para a nossa santificação.

É o que assegura Mons João Clá Dias:

Desde que eu aceite o sofrimento que Deus me manda, desde que eu aceite o drama que passa por minha vida, com integridade de alma e com resignação… Ele, Nosso Senhor, não tem nenhuma falha e não há nada que se possa dizer: “Foi por causa de tal defeito que isso aconteceu…” Não. Ele assumiu sobre si todos os nossos pecados, e Ele sofre tudo isso por causa nossa. Ele sofre para nos dar a vida, Ele morre para nos libertar da morte. E, entretanto, sabemos perfeitamente que Ele, passando por tudo isso, recebe depois a glória que Ele tem enquanto homem, porque enquanto Deus, Ele é Senhor absoluto de todas as coisas, mas enquanto homem, Ele conquista esse poder sobre todas as coisas pelo seu sofrimento, pelo seu tormento.

Portanto, quando a cruz nos apanhar no caminho da nossa vida – será uma doença grave, será um desastre familiar, será o ter que enfrentar o drama destes contra aqueles, será inclusive, ter a desilusão: eu criei para mim um sonho que, de repente, se desfez, se quebrou – aceitar isto com humildade, aceitar isto com resignação, significa estar comprando o prêmio que virá.1

Evidentemente, sem o auxílio da graça, o ser humano não pode suportar retamente e em sua totalidade os esforços e sacrifícios que a vida impõe. Peçamos à Santíssima Virgem, cuja existência foi pervadida de sofrimentos e que culminaram no Calvário, para que possamos corresponder à graça de sermos capazes de uma inteira conformidade com a dor.

1 CLÁ DIAS, João Scognamiglio. Homilia do dia 21/03/2008 (Arquivo IFTE).

Uma ideia sobre “A causa de nossa santificação: o sofrimento

  1. Numa palestra ouvi de um Professor Católico, “há almas que tem a vocação de sofrer, nada é mais nobre mais bonito, nada revela integridade de alma, sinceridade em todos os propositos do que alma que sofre, e que aceita sofrer por causa de outros. Ex o grão de trigo que é triturado para fazer hóstia, ou a uva para fazer o vinho”. Concluia, a palestra, se conhecesse a pessoa que sofreria por ele teria a vontade de oscular os pés.
    Carlos Rogerio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *