Noite mística

Ir. Patricia María Rivas Flamenco

2º Ano de Ciências Religiosas

Nos primórdios da constituição da Ordem dos Franciscanos, a necessidade obrigava todos os monges, inclusive São Francisco, a dormir no chão do dormitório. Mas, enquanto todos dormiam, o santo Fundador levantava-se, saía do dormitório e ia rezar durante algumas horas. Depois voltava a dormir, para que à hora do despertar ninguém percebesse sua falta.

Ora, foi admitido na ordem um jovenzinho muito inocente, que devotava grande admiração a São Francisco. Analisava cada passo de seu Fundador, e causava-lhe muita curiosidade saber o que ele fazia durante as noites. Por isso, arquitetou um plano: certa noite, deitou-se próximo de São Francisco e atou a corda de seu hábito à corda do hábito do Santo, para assim ser alertado quando o Santo se levantasse. Mas São Francisco, ao despertar para as orações de costume, viu as cordas atadas e com muita delicadeza desatou-as, sem acordar o menino. Pouco depois, o menino despertou, viu a corda desatada e notou a ausência do santo. Sem perder a esperança, saiu à procura dele. Achando a porta do pátio aberta e escutando algumas vozes, aproximou-se e encontrou São Francisco conversando com Nosso Senhor, Nossa Senhora, São João Batista e São João Evangelista. Ao contemplar esta cena, o menino desmaiou…

Terminada a celestial conversa, São Francisco começou a voltar para o dormitório e, no caminho, tropeçou com o pequeno desmaiado. Abaixou-se, pegou-o nos braços e o carregou até o dormitório. No dia seguinte, deu-lhe obediência de não contar a ninguém o fato, enquanto vivesse São Francisco.

Que ensinamento podemos tirar deste fato? Peçamos a Nossa Senhora que nossa corrente esteja bem atada a Ela e, assim, estaremos sempre despertos para contemplar as grandezas de Deus.

2 ideias sobre “Noite mística

  1. Salve Maria!
    Quando alguém é chamado a seguir um fundador, esse alguém só recebe as Graças superabundantes em conexão com o fundador.

  2. Salve Maria,Irmã Juliana Montarani,EP,
    Lindo texto!
    Muito obrigada!
    A simplicidade é o último alto grau de sofisticação”(Leonardo da Vinci)
    Assim foi São Francisco de Assis!
    Porém,devemos SER SEMPRE,procurar Sempre o Mágis (como disse Sto Inácio de Loyola)em Tudo!
    Para SEMPRE sermos mais por Mais por Amor a Deus e à Nossa Senhora.

    O Mágis inaciano
    Característico da espiritualidade inaciana é a sua capacidade de fazer sair o melhor de cada um, (“magis” em latim) através do aprofundamento do mundo interior da pessoa onde o próprio Deus habita e se revela. O magis não é a perfeição segundo uma qualquer regra ou medida, mas o mais que é único em cada pessoa, onde as três dimensões da vida se encontram: o amor a Deus, o serviço ao próximo, e a felicidade de sabermos que estamos no caminho certo. Passa menos pela pessoa decidir que esforço quer oferecer a Deus, mas por em primeiro lugar se pôr à escuta: “Senhor, aqui estou! Onde queres que Te sirva?”

    Rezemos,unidas em Orações e nos Corações.
    Beijos fraternos,
    Ceres de Andrade Paes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *