A gema que simboliza o azul do céu

Ir. Isabel Cristina Lins Brandão Veas, EP

Nos últimos capítulos do Apocalipse, São João nos convida a imaginar a Jerusalém Celeste, o “tabernáculo de Deus com os homens” (21, 3), edificado sobre um conjunto de colunas translúcidas e coloridas, cujo brilho decorre da glória divina. E, ao descrever mais adiante os muros que a rodeiam, o Evangelista faz notar que “os alicerces da muralha da cidade eram ornados de toda espécie de pedras preciosas” (21, 19).

Levando em consideração que nas Sagradas Escrituras nenhum detalhe é supérfluo, poderíamos deter nossa atenção em qualquer um dos preciosos minerais sobre os quais se sustenta a feérica construção e, refletindo sobre seu significado mais transcendente, chegar a elevadas conclusões. Nenhum deles, entretanto, parece estar tão carregado de simbolismo quanto a safira, que São João menciona como o segundo fundamento da nova Jerusalém.

Embora esta gema apresente variações róseas, lilases, verdes e até douradas, sua cor típica é o azul. Um azul lindíssimo, às vezes suave, às vezes mais profundo, que parece concentrar em cada uma dessas pedras a vasta gama de tonalidades que é possível se admirar no céu. Dir-se-ia, sem lugar a dúvidas, tratar-se do mais belo azul que existe em toda a ordem da criação.

Contemplar uma safira serena os ânimos agitados, desperta sentimentos de pureza, harmonia e temperança, e afugenta o mal. Santa Hildegarda de Bingen atribui a esta pedra a virtude de favorecer a inteligência e não falta quem lhe outorgue o poder de conceder a sabedoria.

O azul da safira a correlaciona também, de modo singular, com a ideia de nobreza. Ela figurava nas insígnias de altos cargos eclesiásticos e era usualmente empregada na confecção de ornamentos reais. A coroa do Império Austríaco, por exemplo, conservada no Tesouro Imperial de Viena, é encimada por uma safira de tamanho generoso, que simboliza “o nexo entre o Sacro Império e o Céu”.1

Nada, porém, supera o fato de ser esta a gema que melhor representa certos aspectos da alma de Maria Santíssima, Rainha do Céu e da Terra, à qual a Igreja chama de “Cælica Sapphiri – Safira Celestial”. 2 Se a esmeralda é imagem da esperança e o rubi, do amor a Deus, a safira nos recorda a suavidade e a compaixão da Virgem Serena, que “está disposta a nos obter o perdão de seu Divino Filho, mesmo para nossas piores faltas; alcança-nos as graças necessárias para nossa emenda, nossa salvação, e, assim, brilharmos diante d’Ela por toda a eternidade”.

1 CORRÊA DE OLIVEIRA, Plinio. A mais bela coroa do mundo. In: Dr. Plinio. São Paulo. Ano XV. N.176 (Nov., 2012); p.32.

2 COMISSÃO DE ESTUDOS DE CANTO GREGORIANO DOS ARAUTOS DO EVANGELHO. Liber Cantualis. São Paulo: Salesiana, 2011, p.135.

3 CORRÊA DE OLIVEIRA, Plinio. Razão de nossa serenidade. In: Dr. Plinio. São Paulo. Ano VIII. N.91 (Out., 2005); p.44.

Revista Arautos do Evangelho, Maio-2015

Uma ideia sobre “A gema que simboliza o azul do céu

  1. A pedra na coroa de Deus Pai.

    Eu tenho diante de mim o universo e tenho um caco de uma pedra que não sei dizer que pedra é, mas que é lindíssima, lindíssima, mas eu olho para esse caco e olho para o universo eu não troco esse caco pelo universo porque esse caco é lindíssimo, do que é essa pedra? essa pedra é a coroa de Deus Pai que está no Céu. isso vale mais do que todo o universo.
    Uma alma vale mais do que todo o universo, não se afligir quando se olhe da realidade no espelho e vê tanta miséria tanta incapacidade tanta infidelidade; desanimo?; presta atenção naquela pedra, aquela pedra vale mais que tudo e se a Providencia me deu a Graça de corresponder as Graças e que vale mais do que toda a ordem do universo em determinado momento a Providencia fará todo o resto.
    Trechos de reuniões para formação de jovens.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>