Onde está o pulchrum?

Ir Denise Maria Paschoal Rocha, EP

3º ano de Ciências religiosas

Deus é a fonte da pulcritude e não pode criar seres contrários a Si. Portanto, todas as criaturas têm algum aspecto pelo qual refletem a beleza d’Ele.

Em tese, essa afirmação é facilmente aceita. Mas, se a aplicarmos a algo concreto, não será tão simples assim… Por exemplo, quem ousaria responder a esta questão que Plinio Corrêa de Oliveira levantou certa vez: onde está a pulcritude da barata?

Difícil, não é? Para alguns, causará até certo mal-estar só o fato de pensar nesse inseto… Mas Dr. Plinio, com seu perfeito senso de justiça, sabia dar a cada ser o devido valor. Assim, ao responder à referida questão, ele disse que a pulcritude da barata está na casca dela, no seu marrom furta-cor que até parece um verniz. Além disso, embora seja um inseto insignificante, ela é superior a uma pedra preciosa, pois possui vida e a pedra não. Tem, portanto, uma pulcritude ontológico-metafisica em algo superior a uma joia.